Ao longo das últimas semanas trouxemos alguns temas de destaque discutidos no campo da comunicação envolvendo a tecnologia e analisando sua aplicação na área do ensino e educação em escolas e universidades. Tópicos como a utilização de smartphones nas escolas, a comunicação das coisas e as smart cities foram assuntos abordados por ângulos acadêmicos e também visualizados através de referências e materiais audiovisuais.

Assuntos recorrentes hoje em dia e frutos de discussões como a adoção de câmeras nas escolas, vigilância em locais públicos e redes sociais como ferramenta para mobilizações sociais tiveram abordagens mais amplas com a proposição de exemplos fáceis de serem encontrados e aplicados em rodas de conversa. Os assuntos mais diversos e atuais encontraram respaldo em um modelo de educação antigo com as mais diversas reações as novas ferramentas tecnológicas.

Antigas iniciativas de introdução a técnicas virtuais como as salas de informáticas nas escolas em meados da década de 90 até o início dos anos 2000 foram substituídas por tentativas de adesão dos smartphones ao conteúdo passado nas aulas vide a própria utilização desses meios pelas crianças em suas casas. As iniciativas de integração da tecnologia a educação são diversas e não surgiram há pouco tempo o que hoje nos fazem refletir sobre a sua efetividade e aplicação.

Acreditamos na necessidade de uma reforma no formato educacional contemporâneo que, ao ocorrer, agregará os novos dispositivos tecnológicos simplesmente por eles fazerem parte do dia a dia das pessoas e facilitarem ou agilizarem atividades das mais corriqueiras. Acreditamos em uma época que o educar para a vida não terá significado maior do que o aplicado nas escolas brasileiras, como já acontece em alguns lugares do mundo, a exemplo de países como a Finlândia e Colômbia.

 

A máxima de que a Internet e os celulares alienam as pessoas ou deixam os cidadãos cada vez mais reclusos em seus universos particulares precisa ser desmistificada urgentemente para que seja retirado proveito de uma das maiores invenções da pós-modernidade em todos os lugares, inclusive nas escolas, através de ferramentas que permitem acesso a livros digitalizados, ferramentas colaborativas de produção de conteúdo e pesquisa ou até mesmo produção de audiovisual para ilustração de trabalhos que não precisem ser retirados de fontes googlianas.

A produção do blog foi de grande valia para todos os colaboradores através do conhecimento apreendido e desenvolvido durante a apuração dos posts e esperamos que o material final também seja utilizado como incentivador de iniciativas ligadas a tecnologia e educação ou simplesmente sirva de inspiração para aprimorar atividades relacionadas já existentes.

Com grande prazer, nos despedimos do blog finalizando-o através desse post e agradecendo aos que guiaram a nossa trajetória durante o seu desenvolvimento.

Atenciosamente,
Edvan Menezes, Eric Lopes, Márcio, Paloma Morais e Yananda Lima

Anúncios